Sábado, 17 de Setembro de 2016

Quase cheia

DSC08835-1.JPG

 Tirei esta fotografia ao início da noite a partir da minha casa. A Lua ainda não estava totalmente cheia, mas deve ter sido assim que António Caeiro a viu quando escreveu este poema:


“O luar quando bate na relva
Não sei que cousa me lembra...
Lembra-me a voz da criada velha
Contando-me contos de fadas.
E de como Nossa Senhora vestida de mendiga
Andava à noite nas estradas
Socorrendo as crianças maltratadas...
Se eu já não posso crer que isso é verdade,
Para que bate o luar na relva?”

alinhado por fcrocha às 14:39
tags:

mais sobre mim

Setembro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
18
19
20
21
22
23
25
26
27
29
30

pesquisar

 

comentários recentes

  • “Quando os homens já não acreditam em Deus, isso n...
  • Concordo, mas o grave mesmo é que grande parte das...
  • É um bolo tradicional de Penafiel. É muito bom!
  • Não conhecia tais bolinhos!
  • Isso já era um pouco mais à frente. Naquela altura...