Sábado, 17 de Março de 2018

Observar: Comunhão entre a natureza bruta do mar e o talento domesticador do homem

Fiz esta fotografia na barra do Douro e estava a pensar que os faróis são uma espécie de comunhão entre a natureza bruta do mar e o talento domesticador do homem. Por mais agitado e turbulento que o mar esteja, o farol nunca deixa de ser uma potente luz que ilumina para lá das trevas e que indica onde acaba o mar e começa a terra segura.

DSC_0349_edited.jpg

DSC_0541_edited.jpg

 

alinhado por fcrocha às 13:00
tags:

mais sobre mim

Março 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
27
29

pesquisar

 

comentários recentes

  • “Quando os homens já não acreditam em Deus, isso n...
  • Concordo, mas o grave mesmo é que grande parte das...
  • É um bolo tradicional de Penafiel. É muito bom!
  • Não conhecia tais bolinhos!
  • Isso já era um pouco mais à frente. Naquela altura...