Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

alinhamentos

alinhamentos

Sex | 14.12.12

Totós

fcrocha

Eu sempre acreditei que a saída de Fernando Melo da Câmara de Valongo era vista pela coligação PSD/CDS-PP como um alívio e uma renovação da esperança de, em 2013, conseguirem manter o poder naquele concelho. Mas isso era o que eu pensava e não o que está a acontecer. Esta semana, o líder do CDS-PP decidiu revelar ao VERDADEIRO OLHAR a má relação que existe entre os dois partidos e, ainda que de forma indirecta, disse que o seu partido vai concorrer com listas próprias a todos os órgãos autárquicos. O líder do PSD e actual presidente da Câmara não escondeu esse mal-estar interno e acusou os centristas de fugirem à participação na coligação, desconsiderando o facto de o CDS-PP poder vir a ser seu adversário nas próximas autárquicas.

 

Ou os deuses estão loucos para aqueles lados ou os dois partidos não perceberam bem a realidade.

 

Primeiro: o CDS-PP deve estar a esquecer-se de que o seu partido tem uma expressão residual naquele concelho. Basta que nos lembremos de que, nas últimas eleições legislativas, o partido não conseguiu sequer indicar delegados a todas as assembleias de voto. Só por aqui se vê a expressão do CDS-PP em Valongo.

 

Segundo: O PSD está a esquecer-se de que ganhou por meia-dúzia de votos e que se, provavelmente, não tivesse tido a ajuda do CDS-PP, teria perdido as eleições. João Paulo Baltazar também não se pode esquecer de que a população ainda se recorda de todos os mandatos de Fernando Melo e dos atropelos então praticados. Também é conveniente que se lembre de que o PSD está no Governo da República e tem a popularidade em baixo, podendo haver represália dos eleitores nas próximas autárquicas. Outro factor a ter em conta é o facto da Coragem de Mudar estar muito próxima do PS e poder vir a integrar as listas daquele partido.

 

Por tudo isto, era cauteloso que cada um deles tivesse pesado bem cada declaração pública que fez.

 

Nesta altura, José Manuel Ribeiro, o candidato do PS, deve estar a bater palmas de alegria. Nunca a presidência da Câmara de Valongo lhe pareceu tão perto.