Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

alinhamentos

alinhamentos

Dom | 19.02.12

Editorial de 17 de Fevereiro de 2012

fcrocha

Aposta na qualidade. É certo que regularemente ouvimos falar de empresas que fecharam, mas também é certo que existem empresas que, em tempos de crise, são um exemplo de sucesso. Dois desses exemplos, que destacamos nesta edição, são a Jocilma e a Irmafer. A primeira é uma empresa de Paredes dedicada à indústria do mobiliário, que tem 133 funcionários e exporta a totalidade da sua produção para 44 países. A segunda é uma empresa especializada na montagem de estruturas para eventos e tem a sede na Capital do Móvel. Foi a responsável pelas estruturas da Cimeira da Nato, o Tratado de Lisboa, a Cimeira Ibero-Americana, o Rock In Rio, a Visita do Papa, o Circuito da Boavista, o Red Bull Air Race e o Guimarães Capital Europeia da Cultura. O que têm a comum estas duas empresas? Apostaram na modernidade, eficiência e na qualidade. Quando o mercado tem menos dinheiro para gastar torna-se mais selectivo, compra menos, mas compra com mais qualidade. A qualidade, como se vê nestes dois exemplos, poderá ser um caminho para contornar a crise.


A queda dos valores. Nesta edição também damos destaque a uma notícia que é triste mas  retrata bem a degradação moral a que chegou parte da nossa sociedade. No dia de Natal, dois jovens assaltaram e agrediram o próprio avô de 80 anos para lhe roubarem sete mil euros. Fazer isto a uma qualquer pessoa é criminoso. Fazer isto a um idoso é incompreensível. Fazer isto a um avô acamado é selvagem. Este assalto não é uma consequência da crise. É um efeito da queda dos valores morais na sociedade. É a resultado de uma sociedade que perde constantemente o respeito pelo que é belo, pelo que é bom, pelas pessoas e pela família. É o resultado de uma sociedade que há muito passou os limites da liberdade.


Tiro no pé. Na última Assembleia Municipal, o PS de Penafiel, para mostrar que não está contra os investimentos no concelho, propôs que a construção da casa das selecções fosse feita nos terrenos da Bracalândia. Segundo os socialistas, este projecto seria muito importante para o concelho e para a região. Confesso que não percebi a importância que isto poderia trazer para a região, mas parece que o que é certo é que a proposta caiu por terra. Pois, logo a seguir à proposta dos socialistas, a Assembleia Municipal ficou a saber que existe um plano de recuperação para a Bracalândia e que, provavelmente, abrirá portas na próxima Primavera.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.