Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

alinhamentos

alinhamentos

Sex | 20.01.12

Laranja avermelhado…

fcrocha

Numa altura em que o país atravessa a mais grave crise de sempre, em que existem centenas de milhar de pessoas no desemprego, em que a economia não ata nem desata, adivinhe sobre o que é que os deputados se lembraram de legislar. Não, não foi sobre os papéis de Belém. Foi sobre a experimentação com seres humanos e sobre as barrigas de aluguer. Se está a pensar que a iniciativa legislativa foi promovida pelos partidos de esquerda, enganou-se. Foram mesmo os deputados do PSD que tiveram a triste ideia de legislar sobre este assunto. Mesmo que o assunto nunca tenha constado no programa eleitoral daquele partido.

Antes de legislar sobre estes assuntos, os deputados do PSD deviam saber que Portugal está sujeito à convenção de Helsínquia que regula a experimentação com seres humanos, a qual não é cumprida com esta proposta dos deputados laranjas.

Na verdade, os deputados do PSD estão muito defensores das causas da extra-esquerda. Não satisfeitos por permitirem a experimentação com embriões humanos, os miseráveis deputados aproveitaram a deixa e aviaram de uma só vez a lei que vai permitir as barrigas de aluguer em Portugal. Sim, assim qualquer homossexual já vai poder ter bebés. Basta que encontrem uma mulher que queira ter o filho por eles. Depois do puto nascer, passa a ser propriedade do pai Joaquim e da mãe António. Ou seja, os deputados do PSD querem que os filhos nasçam num tipo de incubadora e ao mesmo tempo reduzir a criança a um bem de consumo. É triste quando os deputados da Nação não têm mais nenhum assunto com que se preocupar. É lamentável que a prioridade dos deputados sejam todos os assuntos, excepto as dificuldades das famílias e das empresas portuguesas.

Se os deputados do PSD querem fazer experiencias destrutivas com seres humanos, porque não se voluntariam eles próprios? Não sei se a ciência saía a ganhar por causa da fraca qualidade das cobaias, mas que o país ganhava com isso, lá isso ganhava.