Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

alinhamentos

alinhamentos

Ter | 16.08.11

O problema está nas estatísticas

fcrocha

As notas da segunda fase dos exames nacionais confirmam os péssimos resultados da nossa escolaridade. São onze as disciplinas com média negativa, mais cinco do que em 2010, entre elas está Matemática e Português. Quase metade das disciplinas tiveram média negativa.

 

Estamos a falar do ensino secundário, onde os alunos que terminam este ciclo devem estar em condições de ingressar numa universidade. Média de 8 valores a Matemática e 9,1 a Português, numa escala de 20, é desastroso.

 

Estes números deixam-me preocupado porque está em causa a mobilidade social. Eu acredito que os melhores instrumentos de mobilidade social são a educação e a qualificação. É através da educação e qualificação que crianças oriundas de famílias com menos recursos conseguem ter mais oportunidades de igualdade e, assim, evoluir socialmente.

 

Antes de se tomar qualquer atitude é preciso perceber o que correu mal para chegarmos a estes resultados. Serão os programas que estão mal feitos? Os professores não foram suficientemente capazes para ensinar? Os alunos esforçaram-se pouco?

 

Eu acredito que o defeito está nas estatísticas. Foi por razões estatísticas que quisemos que Portugal progredisse rapidamente nos números europeus e para isso nivelou-se tudo por baixo, exigiu-se pouco do ensino para facilitar a vida aos alunos.

 

Estas notas são o resultado de uma aprendizagem básica e facilitista.

 

É preciso mexer na educação, mas sem grandes reformas. As reformas demoram mais de cinco anos a darem frutos, por isso não é possível passar todos os anos a fazer reformas na educação. É necessário ir mexendo com cuidado, bom senso e ponderação. Fazer o reforço da carga horária a Português e Matemática é uma das formas, mas não chega.

É necessária uma avaliação externa dos professores e dos alunos. Numa sociedade global e altamente competitiva não faz sentido não estarmos todos sujeitos à avaliação.

 

Temos que ter outra visão sobre o papel do professor, este tem que ser reconhecido e valorizado. É necessário aumentar a autoridade dos professores e é preciso dizer aos pais dos meninos que na escola encontrarão rigor, disciplina e exigência.