Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

alinhamentos

alinhamentos

Sex | 12.08.11

A qualidade paga-se

fcrocha

Os hábitos de leitura estão a mudar. No VERDADEIRO OLHAR sentimos a essa mudança, a cada semana que passa o número de leitores da edição online dilata. Fruto de uma edição actualizada várias vezes ao dia, a edição online tem, neste momento, uma média de 15.069 leitores por dia. Logo que acordam, os nossos leitores podem ver as notícias da região através do telemóvel e, durante o dia, podem seguir o ritmo informativo através das várias actualizações diárias.

 

Se os leitores podem ter toda a informação na hora, o que sobra para ler na edição impressa de sexta-feira que está à venda nos quiosques? O que leva um leitor que acompanha diariamente a edição online a comprar o jornal ao fim de uma semana? O desejo de estar bem informado.

 

Uma boa informação, isenta, com qualidade e com um compromisso com a verdade só pode ser feita por jornalistas. Os jornalistas são profissionais e, como qualquer profissional, têm que ser pagos. O problema é que a edição online, mesmo com mais de 450 mil leitores num mês, não gera receitas suficientes para sustentar uma redacção. Os anunciantes não estão sensibilizados para a importância e visibilidade que se consegue na edição online, os leitores não estão disponíveis a pagar para ler na Internet. A isto, junta-se ainda o facto de muitos leitores não conseguirem discernir um jornal online de um site que vai copiando umas noticias e publicando umas notas de imprensa enviadas pelas câmaras municipais.

 

Assim, a partir de agora, na edição online pode acompanhar a “espuma” dos dias. Lá, vai poder ler as notícias do dia-a-dia, a agenda cultural e as notas de imprensa das várias instituições. Na edição em papel vai poder ler noticias produzidas por jornalistas de excelência, tratadas com o intuito de converter a informação em conhecimento. O que publicarmos na edição impressa há-de continuar a alimentar os sites, blogues e até os jornais e as rádios da região.

 

A boa informação gera liberdade e cultura.