Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

alinhamentos

alinhamentos

Qui | 12.05.11

Toca a acordar!

fcrocha

Faltam três semanas para as eleições legislativas, onde o povo vai poder escolher entre continuar com um governo que levou o país à bancarrota ou um novo governo. Todas as sondagens mostram que o povo ainda não decidiu se quer correr com quem nos deixou praticamente a pão e água. Eu sei que o PSD apresentou um programa eleitoral pouco ambicioso, mas o PS continua a apresentar como candidato um líder que mentiu e quase faliu o país.

 

Para se perceber melhor a confusão de ideias e valores que por aí anda, vejam este exemplo. Esta semana, fez-se muito ruído pelo facto do hino de campanha do PSD ter um erro ortográfico. Na mesma semana, o deputado Ricardo Rodrigues pediu uma indemnização de 35 mil euros a dois jornalistas por lhes [ele, Ricardo Rodrigues] ter roubado dois gravadores. Sobre isto, nem uma palavra se ouviu. Confesso que não consigo entender como é que a opinião pública e a comunicação social nacional toleram que o cabeça-de-lista socialista pelos Açores às próximas eleições legislativa seja um tipo que roubou dois gravadores a jornalistas, foi acusado pelo Ministério Público por crime de atentado à liberdade de imprensa e informação, que aparece agora a pedir uma indemnização por ter roubado.

 

Mas esta perversidade é transversal. Veja-se, por exemplo, a comunicação que José Sócrates fez ao país para dizer apenas o que o FMI não vai fazer, esquecendo-se, de forma espantosa, de dizer quais serão as medidas a aplicar. O professor Daniel Bessa, a propósito das declarações do Primeiro-Ministro, disse o seguinte: [José Sócrates] “faz-me lembrar um jogador de casino, que acha que há ainda uma última hipótese de sair aquela sorte grande, que nunca tinha saído, e que o pode salvar”.

 

Estamos a viver um dos períodos mais difíceis da História do nosso país, por isso, as próximas eleições ganharam uma importância acrescida. Em causa não estará apenas a eleição do próximo governo, estará em causa a continuidade da democracia. Se muitas vezes as urnas serviram para punir, desta vez poderão servir para salvar o país.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.