Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

alinhamentos

alinhamentos

Sex | 04.03.11

Vergonhoso. Prove. Mau jornalismo.

fcrocha

Vergonhoso. Em Paredes, a Assembleia Municipal é sempre uma diversão para uma parte dos deputados, uma lavagem de roupa suja para outros e uma vergonha para o concelho. Não há reunião daquele órgão autárquico em que não se assista à troca de insultos e a comportamentos absolutamente vergonhosos. Desta vez, perante o olhar permissivo do presidente da assembleia, dois deputados municipais tiveram tempo para lavar roupa suja, falarem das relações extra-conjugais, nos desfalques, nos roubos e diabo a quatro. Tudo, sem que o presidente da assembleia municipal se tenha dado ao trabalho de manter a dignidade mínima que se exigia a quem dirige aquele órgão. Tudo, sem que os outros deputados, à excepção de Cristiano Ribeiro, se tivessem insurgido contra aquele comportamento pouco sério, indigno e intolerável. Uma absoluta vergonha!

 

Prove. Esta semana, a Rede Europeia de Desenvolvimento Rural destacou como projecto do mês o PROVE, um projecto que envolve pequenos agricultores da região que, semanalmente, disponibilizam os seus produtos através de um cabaz. O PROVE promove uma relação directa entre quem produz e quem consome, cria hábitos alimentares saudáveis, melhora o escoamento da produção hortofrutícola de pequenos agricultores e incentiva a produção biológica tradicional. Para além do preço convidativo, os consumidores têm a vantagem de consumir produtos frescos, oriundos de hortas próximas da sua área de residência.

 

Mau jornalismo. A RTP, exibiu uma reportagem sobre um padre católico que pratica exorcismo. A jornalista deu como certo que o tal Humberto Gama era padre, católico e exorcista. Se a jornalista fosse séria, se a RTP estivesse interessada em prestar um verdadeiro serviço público, teria dito que esse tal padre, afinal não é padre e muito menos exorcista. Em 2006 a diocese de Vila Real fez um comunicado a informar isso mesmo, esta semana foi a diocese de Leiria-Fátima. Se a jornalista fosse decente, teria dito que, em tribunal, correm vários processos de assédio sexual e burla contra o tal padre. Se a jornalista fosse séria, teria dito que o que diferencia “padre” Gama do Professor Karamba é a cor da pele.