Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

alinhamentos

alinhamentos

Sex | 05.11.10

Sugestão de leitura

fcrocha

OS CADERNOS DE MR. PICKWICK

 


Autor: CHARLES DICKENS

Editor: Tinta da China
Preço: 33,21 €

 

Numa altura em que nos tentam fazer crer que uns números orçamentais nos devem tirar o sorriso, decidi sugerir um clássico de bom humor. Humor fino.

 

Os Cadernos de Mr. Pickwick foram publicados em fascículos entre 1836 e 1837. São um clássico instantâneo, uma referência na comédia de situação, de linguagem e de personagem, cuja influência se percebe em obras de todos os tipos - não apenas nas estritamente humorísticas. E um livro inocente sobre a inocência, em que tanto o protagonista como o autor vão, a pouco e pouco, deixando de ser inocentes. O eterno Sr. Pickwick, que começa por ser um pateta pomposo e ridículo, é, no final do livro, um homem bondoso e puro - e, no entanto, temos a sensação de que não foi ele quem mudou.

 

É uma viagem empolgante com o Sr. Pickwick e os seus amigos pela Inglaterra do século XIX. Histórias de ir às lágrimas, escritas com a mestria de Charles Dickens. Pela primeira vez o texto integral, numa tradução de excelência de Margarida Vale de Gato. Um clássico obrigatório.

 

Sobre o autor, Fernando pessoa disse "O Sr. Pickwick é uma das figuras sagradas da história mundial. Por favor, não se alegue que ele nunca existiu: o mesmo acontece com a maioria das figuras sagradas do mundo, e isso não as impediu de serem uma presença viva para um vasto número de réprobos consolados. Logo, se um místico pode alegar um relacionamento pessoal e uma visão nítida de Cristo, um ser humano pode alegar um relacionamento pessoal e uma visão nítida do Sr. Pickwick".

 

Esta edição da Tinta da China apostou num livro com capa dura e cartonada e um grafismo exemplar, o livro tem ainda a característica de não possuir lombada, deixando à vista as costuras, como se tivéssemos nas mãos um velho alfarrábio. O prefácio é do humorista Ricardo Araújo Pereira.

 

Como diz Chesterton, "Dickens não escreveu exactamente literatura; escreveu mitologia". Vale a pena ler.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.