Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

alinhamentos

alinhamentos

Sex | 13.08.10

Editorial de 13 de Agostos de 2010

fcrocha

Coerência. Jorge Magalhães está no seu último mandato à frente dos destinos do município de Lousada. Quando o terminar, Jorge Magalhães deixará no concelho muitas e boas marcas, sendo a coerência a principal de todas elas. Ao denunciar que o Governo do seu próprio partido deve a Lousada mais de meio milhão de euros, o autarca mostrou mais uma vez que teve – e tem – uma governação comprometida com o concelho e não comprometida com a agenda mediática do partido. Fez a denúncia da mesma forma que fez muitas outras: sem chicana política, de forma responsável e equilibrado nas palavras. Jorge Magalhães não é apenas o último dos “dinossauros”, é o último dos autarcas na verdadeira ascensão da palavra.

 

Pagamentos atrasados. Publicamos o Relatório de Primavera da Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP), referente às autarquias da região. O principal dado a reter deste relatório é o facto de nenhuma das câmaras cumprir o prazo legal de pagamento aos fornecedores. Embora a lei diga que esse prazo não pode exceder os dois meses, há câmaras, como é o caso de Penafiel, que demoram até 12 meses para pagar facturas a fornecedores. Se a lei é clara sobre este assunto, se o Governo promoveu programas especiais de regularização dívidas por parte da Administração Pública, porque é que as câmaras continuam a não pagar a tempo e horas?

 

Violência doméstica. Esta semana, noticiamos mais um crime de violência doméstica. É apenas mais um dos muitos que temos dado a conhecer. Provavelmente, haverá muitíssimos mais que não chegam ao conhecimento público. A sociedade e os governantes não têm dado muita importância a este tipo de crime que se transforma em crime de homicídio conjugal. É preciso uma estratégia clara no combate a este crime. Uma das medidas que ajudaria é a detenção fora de flagrante delito, para acautelar a denúncia da vítima e a afastar do agressor. Até lá, continuam a morrer muitas mulheres por ano vítimas deste crime.