Quinta-feira, 11 de Setembro de 2014

Editorial: Paz nas escolas

 

 

Há anos que se houve falar da reforma educativa. Não há nenhum Governo nem sindicato que não insista neste tema. O certo é que as reformas são sempre residuais e os resultados obtidos pelos estudantes portugueses em avaliações internacionais indicam a necessidade de mudar.

 

Fala-se do nível socioeconómico dos alunos como factor decisivo, mas as diferenças de desempenho encontradas entre alunos da mesma camada social mostra que a solução é mais complexa, muito para além do dinheiro disponibilizado ou do tamanho das turmas, de acordo com as conclusões de muitos estudos internacionais.

 

Um desses estudos, apresentado pela London School of Economics, conclui que a subida das notas dos alunos depende principalmente de três factores interligados: a qualidade dos professores; a obrigação de estes se submeterem a uma avaliação objectiva com testes externos; a autonomia das escolas na escolha dos seus professores. Importantes são também o nível cultural das famílias e a quantidade de livros disponíveis para serem lidos em cada casa e que são efectivamente lidos pelos alunos, mas, nesse caso, os Governos pouco podem fazer.

 

Parece-me que é tempo de conseguir paz nas escolas, dignificar os professores e melhorar a qualidade do ensino público. Enquanto ministério e sindicatos não perceberem que as escolas devem ter autonomia, não só para contratar, mas também para livrar os professores de burocracias que os deixa sem tempo para preparar as aulas, vamos continuar a ter os sindicatos a convocar greves que prejudicam apenas os alunos e o ministério a tentar virar a sociedade portuguesa contra os professores. No fim, os que mais saem a perder são os alunos.

 

Numa altura em que o país atravessa um período de várias reformas, esta pode ser a oportunidade para dignificar os professores, a função docente. Tal como não há nenhuma esperança de ensino bom sem bons professores, não há bons professores se as leis que regem a sua profissão não forem motivadoras, justas ou valorizadoras do mérito.

alinhado por fcrocha às 10:39
Sexta-feira, 21 de Fevereiro de 2014

Uma foto que me recor...

Esta foto do meu tempo da escola primária recorda-me outros tempos. É do tempo em que os meus pais não me iam levar...

alinhado por fcrocha às 17:11
tags:

mais sobre mim

Dezembro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
24
26
27
28
29
30
31

pesquisar

 

comentários recentes

  • Concordo plenamente com as criticas aqui apresenta...
  • Já não erraram tudo!
  • Aconselho a leitura deste texto.https://www.facebo...
  • Devo dizer que concordo com o artigo, excepto a qu...
  • Pense apenas em duas coisas: 1ª todos falam da TAP...

subscrever feeds