Terça-feira, 23 de Dezembro de 2014

Editorial: Fava no bolo-rei, gente despercebida e lambarices

 

Saiu-lhe a fava. Este final do ano parece estar a ser agitado no seio do PSD-Paredes. Há umas semanas, neste mesmo espaço, questionei o que teria levado Celso Ferreira a apoiar uma candidatura de Joaquim Neves, até então um forte opositor à sua própria gestão. A resposta parece ter chegado agora. É certo que Celso Ferreira tinha prometido demitir-se da Comissão Política do PSD, o que veio efectivamente a acontecer, mas nunca disse que a restante equipa o seguiria nessa decisão. Ou seja, Celso Ferreira demitiu-se para cumprir a palavra dada, mas deixou no seu lugar Adriano Campos, um homem da sua confiança que garantirá que até 2016 o candidato às autárquicas será escolhido por Celso Ferreira e não por Joaquim Neves. Ou seja: quando Joaquim Neves pensava que estava a partilhar do bolo-rei do PSD, Celso Ferreira entregou-lhe a fatia com a fava.

 

Não é nada com ele. Por Paços de Ferreira, o partido da laranja está mais calmo, não por estar a trabalhar serenamente, mas porque parece estar numa calma típica de quem está em estado de coma. Na entrevista publicada na passada semana, Humberto Brito centrou o seu discurso na gestão anterior feita pelo PSD, garantindo que encontrou uma Câmara Municipal “sem rei nem roque” relativamente às contas públicas. Afirmou que a gestão do PSD era tão desastrosa que bastou algum rigor para conseguir reduzir seis milhões de euros naquilo a que chamou “gorduras”. Teve até tempo para conseguir a vitimização, ao dizer que o PSD o tinha impedido de resolver o problema da água e saneamento. Em resposta a esta entrevista, o PSD reagiu na sua página pessoal do Facebook, através do seu presidente, num discurso redutor e pobre, para fazer a sua defesa dizendo que nunca tinha feito ataques pessoais. Relativamente às acusações de má gestão, nem uma palavra sobre o assunto. José Valentim Sousa, o presidente do PSD-Paços de Ferreira, continua a agir como se o PSD do passado recente fosse um outro longínquo e que nada tem que ver com o que preside.

 

Uma lambarice. O Natal é já amanhã e a sugestão que lhe deixo já não pode ser usada na noite de consoada, mas pode sê-lo várias vezes ao longo do ano. Aqui mesmo ao lado, em Vila das Aves, há o Mosteiro da Visitação, de umas freiras muito simpáticas que confeccionam uns bombons de chocolate caseiros. A produção destas iguarias é uma das formas de garantir algumas receitas para fazer face às despesas do mosteiro. Caso queiram provar os bombons e, ao mesmo tempo, ajudar o Mosteiro da Visitação, enviem um email à responsável por este projecto, a Irmã Raquel, e façam a vossa encomenda. O endereço de email é ir.raquelsilva@ordemdavisitacao.com .

 

É Natal. Feliz, feliz Natal que nos consegue trazer de volta às ilusões dos nossos dias de infância; que recorda aos mais velhos os deleites da juventude; que conduz os mais novos à alegria dos presentes; que transporta muitos dos portugueses dispersados pelo mundo até à serenidade do seu lar; que nos faz acreditar que o Menino-Deus nos trará um ano melhor. Feliz Natal!

 

alinhado por fcrocha às 19:06

mais sobre mim

Dezembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30

pesquisar

 

comentários recentes

  • Concordo plenamente com as criticas aqui apresenta...
  • Já não erraram tudo!
  • Aconselho a leitura deste texto.https://www.facebo...
  • Devo dizer que concordo com o artigo, excepto a qu...