Terça-feira, 17 de Maio de 2016

À cautela, vou comprar as sardinhas

Por estes dias, dei comigo a pensar em vários acontecimentos recentes que me mostraram as prioridades do país a ponto de eu as não conseguir compreender. Alguns exemplos:

O Governo decidiu cortar financiamento aos colégios privados na mesma semana em que Ministério da Saúde transferiu os abortos pagos com o dinheiro do Estado para as clínicas privadas;

O mesmo Estado que não financia os tratamentos de fertilidade a um casal com mais de 35 anos tem dinheiro para pagar o tratamento das “barrigas de aluguer”;

Os deputados que pretendem aprovar a proibição de abate de cães nos canis municipais são os mesmos que estão empenhados na legalização da eutanásia;

O director de uma delegação do IPO afirma que não tem dinheiro para tratar todos os doentes com cancro que recebe, mas dá-se ao luxo de recusar um donativo angariado através de uma tourada.

Entre estas perturbadoras contradições, matutei na intenção de se dar tanto valor à vida de um animal como à vida de uma pessoa, se não mesmo mais. E depois de ter lido um artigo no jornal “The New York Times” em que o cientista norte-americano Jonathan Balcomb conta que descobriu que os peixes têm sentimentos, à cautela, decidi comprar dois quarteirões de sardinhas das grandes, não vá um qualquer deputado ler o tal artigo e lembrar-se de me estragar o arraial são-joanino, que é já no próximo mês…

alinhado por fcrocha às 18:56

mais sobre mim

Maio 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30

pesquisar

 

comentários recentes

  • Concordo plenamente com as criticas aqui apresenta...
  • Já não erraram tudo!
  • Aconselho a leitura deste texto.https://www.facebo...
  • Devo dizer que concordo com o artigo, excepto a qu...
  • Pense apenas em duas coisas: 1ª todos falam da TAP...