Sexta-feira, 17 de Agosto de 2012

Jogar baixo

O tempo em que as câmaras municipais tinham dinheiro para financiar o desporto profissional é um tempo ultrapassado. Presentemente, ninguém compreenderia que se gastasse o que quer que fosse a patrocinar equipas de futebol. Vem isto a propósito do corte no patrocínio da Câmara Municipal de Paços de Ferreira ao futebol.

 

Esta semana, o secretariado do Partido Socialista local mostrou-se chocado com o fim da publicidade da Capital do Móvel nas camisolas do Futebol Clube de Paços de Ferreira. Esta posição até poderia parecer normal, não fosse o dirigente do mesmo secretariado ter votado sempre contra os protocolos entre o Município e os clubes locais, desde que é vereador. Paulo Sérgio Barbosa, utilizando o descontentamento de alguns dirigentes do futebol, aproveitou para mudar de opinião e esquecer-se da posição enquanto vereador durante os últimos três anos. Esteve melhor o colega de vereação Humberto de Brito que soube manter-se fiel ao que sempre defendeu, não embarcando no oportunismo de ocasião.

 

Uma das preocupações do PS-Paços de Ferreira é a hipótese, patética, da Câmara Municipal de Paredes vir a patrocinar as camisolas dos Castores. O PS disse isto, a imprensa local escreveu o mesmo sem confirmar com ninguém e os dirigentes do F. C. Paços de Ferreira não tiveram a coragem para desmentir: tudo serve para pressionar Pedro Pinto a abrir os cordões à bolsa. Convém aqui relembrar o que se passou em Paredes.

 

A Câmara Municipal de Paredes deixou de patrocinar a equipa de ciclismo LA-Antarte. No dia da apresentação da equipa para a 74ª Volta a Portugal em Bicicleta, a equipa de Paredes fez a apresentação no salão da nobre do Município. Com este gesto, o director da equipa, Mário Rocha, disse que compreendeu que a autarquia não tem dinheiro para continuar a patrocinar, não esqueceu os anos anteriores em que recebeu esse patrocínio e disse que a equipa continuaria a ser a de Paredes. Inclusive, nas camisolas continua figurar a marca Rota dos Móveis.

 

Se o F. C. Paços de Ferreira fosse um clube agradecido, teria reconhecido o bem que lhe fez o dinheiro que recebeu da Câmara Municipal durante vários anos e ofereceria a publicidade aos empresários locais. A publicidade não favorece o presidente da Câmara, mas sim os empresários do concelho. Afinal, o que seria o F. C. Paços de Ferreira sem as largas centenas de milhares de euros que a autarquia lhe deu?

alinhado por fcrocha às 18:10

mais sobre mim

Agosto 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
15
16
18
20
21
22
25
26
27
30

pesquisar

 

comentários recentes

  • Concordo plenamente com as criticas aqui apresenta...
  • Já não erraram tudo!
  • Aconselho a leitura deste texto.https://www.facebo...
  • Devo dizer que concordo com o artigo, excepto a qu...
  • Pense apenas em duas coisas: 1ª todos falam da TAP...