Quinta-feira, 31 de Maio de 2012

OS ESPINHOS DA ROSA

OS ESPINHOS DA ROSA I. As eleições de amanhã para as concelhias do PS terão uma importância que ultrapassa a esfera dos socialistas. A menos de dois anos das próximas eleições autárquicas, este acto eleitoral vai ser decisivo para a escolha dos candidatos socialistas e para a definição de estratégias dos outros partidos. Se há concelhia onde isto é evidente é em Valongo. A saída de cena de Fernando Melo, mais cedo que o que se esperava, e a chegada de João Paulo Baltazar à presidência do Município baralhou as contas aos socialistas. No entanto, é mais do que provável que o movimento Coragem de Mudar não apresente candidatura. Por isso, os socialistas sonham com os votos que em 2009 fugiram para Maria José Azevedo e alimentam a esperança de ganhar as próximas autárquicas. Isso mesmo sabem José Manuel Ribeiro e Afonso Lobão. O primeiro, está em rota de colisão com o vereador e já disse que quer ser o cabeça de lista. Afonso Lobão quer dar continuidade ao trabalho enquanto vereador e por isso vai disputar a liderança com Ribeiro. A ver vamos quem fica com a rosa e quem fica com os espinhos.


OS ESPINHOS DA ROSA II. Em Lousada, a candidatura de Pedro Machado é uma operação de marketing de preparação da candidatura deste como o cabeça de lista socialista às próximas autárquicas. Tenho dúvidas que o processo interno que levou à escolha de Pedro Machado para suceder a Jorge Magalhães tenha sido tão pacífico como aparenta, no entanto, o partido soube passar para o exterior uma imagem de unidade socialista. Uma rosa sem espinhos.


OS ESPINHOS DA ROSA III. Em Penafiel, as eleições no PS fazem ecoar os alarmes dentro da coligação de direita. André Ferreira e Nuno Araújo juntos indicia unidade interna e demonstra que o Partido Socialista não vai cometer o mesmo erro de 2009, que foi o de brincar às facções. André Ferreira não quer deixar fugir esta oportunidade única de reconquistar a Câmara. Os socialistas sabem que dentro da coligação de direita reina uma paz podre e, por isso, preparam uma candidatura de unidade, na esperança que a coligação se desfaça. Os espinhos da rosa podem ferir o PSD e o CDS.


OS ESPINHOS DA ROSA IV. Em Paredes, Alexandre Almeida prometeu renovação, mas apareceu rodeado dos mesmos bolorentos que dirigiram o PS durante anos e obtiveram os resultados que todos conhecemos. Para Alexandre Almeida poder sonhar com um bom resultado vai ter que aprender a fazer oposição como os socialistas de Penafiel. Ao penafidelense André Ferreira movem-no apenas, e só, motivos políticos nos seus ataques ao executivo. Em Paredes, e até agora, os ataques a Celso Ferreira (não ao PSD) são motivados por razões pessoais que todos conhecem. Se Alexandre Almeida inverter esta situação terá muito mérito e fará com que comece a florir a rosa onde, até agora, só se vêm os espinhos.


OS ESPINHOS DA ROSA V. Em Paços de Ferreira, a candidatura Paulo Sérgio Barbosa em lista única está longe de constituir consenso. Em 2009, Humberto de Brito conseguiu o melhor resultado que alguma vez os socialistas alcançaram numas eleições autárquicas na Capital do Móvel e, por isso, acalenta a esperança de ser novamente o cabeça de lista. Mas também é certo que Paulo Sérgio Barbosa há muito que corre numa pista paralela à de Humberto de Brito, com o intuito de ser ele próprio o candidato. Esta rosa, que parecia não ter espinhos, pode transformar-se num cardo.

alinhado por fcrocha às 19:18

mais sobre mim

Maio 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
21
22
24
27
28
29

pesquisar

 

comentários recentes

  • Concordo plenamente com as criticas aqui apresenta...
  • Já não erraram tudo!
  • Aconselho a leitura deste texto.https://www.facebo...
  • Devo dizer que concordo com o artigo, excepto a qu...
  • Pense apenas em duas coisas: 1ª todos falam da TAP...