Quinta-feira, 22 de Abril de 2010

SCUT: Alguns utilizam, mas todos pagam

SCUT I. Esta semana, tivemos nove carros num buzinão e cinco presidentes de câmara numa conferência de imprensa, todos contra a introdução de portagens nas SCUT. Antes de mais, convém relembrar que o sistema SCUT foi introduzido em Portugal pelo então ministro socialista, João Cravinho. Na altura, o partido de quatro destes autarcas manifestou-se – e bem – contra este desastre económico e financeiro.

 

SCUT II. Quando foi inventado, o processo SCUT não teve a intenção de beneficiar as populações, nem tão pouco fazer progredir certas regiões do país. Cravinho avançou com as SCUT porque era a única forma do Governo erguer obra sem possuir os recursos financeiros necessários. Falar em “discriminação positiva”, foi a forma simpática que o Governo da altura teve para nos dizer que ia fazer umas estradas, mas não tinha dinheiro para as pagar.

 

SCUT III. As SCUT custam ao país os “olhos da cara”. No ano passado, o país pagou mais de 700 milhões de euros pelas SCUT. Este, ano o preço aumenta e assim sucessivamente durante 30 anos. Só entre 2011 e 2015, o Estado terá que pagar pelas SCUT mais 155 milhões de contos (escrevi contos, para perceber bem a dimensão) do que se fosse uma auto-estrada convencional.

 

SCUT IV. Eu percebo alguns dos argumentos dos autarcas da região quando afirmam que, de acordo com os critérios definidos pelo Governo, as SCUT que atravessam o Vale do Sousa deveriam continuar sem portagens. Mas acredito que prestariam um serviço maior à região e ao país se estivessem juntos a reivindicar o fim de todas as SCUT.

 

SCUT V. O autarca da Capital do Móvel mostrou-se indignado porque as estradas alternativas no seu concelho são municipais. São, mas recebe dinheiro do Governo para a sua manutenção. Para além disso, a SCUT não acabou com nenhuma das estradas que existia anteriormente. O de Paredes, pelo mesmo princípio, devia manifestar-se contra as portagens na A4. Porque é que os utilizadores da A4 pagam e os da A41 não devem pagar? Defendo o princípio do utilizador-pagador. Quem utiliza a auto-estrada paga. Nada mais justo.

alinhado por fcrocha às 12:45
tags:

1 comentário:

Concordo consigo, mas olhe lá e então a Via do Infante e a A24 e a A23 e a A25, porque é que só no grande Porto é que se vão colocar portagens? Já para não falar nas vias á volta da grande Lisboa com perfil de auto-estrada e de BORLA. QUEM AS PAGOU....?
Luis Sousa a 26 de Abril de 2010 às 14:19

mais sobre mim

Abril 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
14
15
17
18
19
20
23
25
26
28
30

pesquisar

 

comentários recentes

  • Concordo plenamente com as criticas aqui apresenta...
  • Já não erraram tudo!
  • Aconselho a leitura deste texto.https://www.facebo...
  • Devo dizer que concordo com o artigo, excepto a qu...
  • Pense apenas em duas coisas: 1ª todos falam da TAP...