Sexta-feira, 08 de Fevereiro de 2013

Há somas que reduzem

Na política, nem sempre 1+1 é igual a 2. Às vezes, as somas geram resultados negativos. Vem isto a propósito da intenção de uma coligação autárquica em Paredes entre o PSD e o CDS-PP.

 

Supostamente, parece que a coligação interessa aos dois partidos, mas, na verdade, apenas um sairá a ganhar, e esse é o partido mais fraco. O CDS-PP não tem estrutura partidária nem tem candidatos aos órgãos autárquicos, por isso, tem todo interesse na coligação. Caso ela se concretize, é o único partido que sai a ganhar, seja qual for o resultado.

 

Ao PSD de Celso Ferreira interessa-lhe a coligação porque está com os olhos postos nos quase cinco mil eleitores que habitualmente depositam o seu voto no CDS-PP. Mas aqui é que está o equívoco de Celso Ferreira. O líder dos “laranja” esqueceu-se de que o concelho foi governado pelo CDS-PP durante 17 anos e que foi precisamente o seu partido que destronou o CDS-PP do poder. Estou certo de que os votos que ainda restam aos centristas são votos de protesto contra o PSD. No dia em que o CDS-PP se juntar ao PSD, esses votos, seguramente, cairão noutro candidato. Por isso, a soma dos dois partidos de direita pode fazer crescer o Partido Socialista.

 

Mas ainda há outro factor que Celso Ferreira não teve em conta: a forma como os eleitores interpretarão esta coligação. Aos olhos da população, o PS apresenta-se com um candidato mais forte do que em 2009. No momento em que expuser a coligação, Celso Ferreira estará a dar um sinal de fraqueza e receio perante o candidato socialista. Por tudo isto, acredito que uma coligação entre o PSD e o CDS-PP fará com que todos ganhem com isso, excepto o PSD.

 

alinhado por fcrocha às 08:16

mais sobre mim

Fevereiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
15
18
19
22
24

pesquisar

 

comentários recentes

  • Concordo plenamente com as criticas aqui apresenta...
  • Já não erraram tudo!
  • Aconselho a leitura deste texto.https://www.facebo...
  • Devo dizer que concordo com o artigo, excepto a qu...